A cascata

ÍNDICE Socalcos « anterior |

seguinte » Moinho do Teixeiro

Autoria | José Manuel Moura Alves

Criado em | Outubro 2011

Estilo poético | Versos livres

DSC_1006.JPG

Apressada, na dureza do granito
Descendo da serra até ao chão
Colorindo de branco o verde musgo
Que enfeita os contornos arredondados
Das pedras sedentas da ribeira.

Águas passadas não voltam!
Qual pintor, sem falsa modéstia
Rendido incondicionalmente
À beleza das águas transbordantes
Manipula um pincel de talento
E desenha nos nossos olhos surpreendidos
um quadro surreal.

Resto-me em doce vertigem
No borbulhar crescendo das águas cantantes
Cristalinas, gélidas mas vibrantes
Como uma sinfonia de sons
Nos prazeres do Outono agreste.

______

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License