Quadras dedicadas a Loriga

ÍNDICE Canção de Saudade « anterior |

Autoria | Autor desconhecido

Criado em | . 1984

Estilo poético | Quadras

Oh, Loriga, Oh Loriga
Presépio monumental
Tu és a vila mais bela
Das terras de Portugal.

Pitorescas as montanhas
Com ribeiras que se unem
Onde belo e terrível
De mãos dados se confundem.

Dos píncaros da tua serra
Em constante sintonia
Deslizam águas cantando
Deslumbrando melodia.

Correndo pelas ribeiras
Entre caminhos e montes
Regam courelas e malhadas
Cruzando as tuas pontes.

Teus prados verdejantes
Com milho embandeirado
São cenário fascinante
Que merece ser pintado.

Loriga sempre foi linda
Mas com neve é um espanto
Quando vista do mirante
Toda coberta de branco.

P´la beleza que encerra
No Pisão do Barroel
Deu-lhes foral de vila
O El-Rei D. Manuel.

Da Tresposta do Fontão
Ela parece um altar
Com seu belo Santuário
Onde a gente vai rezar.

Mas esta vila serrana
Não tem somente magia
Tem também o doce encanto
De Nossa Senhora da Guia.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License