Quadras ao avião que caiu na Serra da Estrela

ÍNDICE Quadras soltas « anterior |

seguinte » Fontão

Autoria | Filomena Nunes Brito

Criado em | Abril 1944

Estilo poético | Quadras

I
Meus senhores vou-lhe contar
Um caso de grandes horrores
Morreram na Serra da Estrela
Seis grandes aviadores

II
Da uma hora para as duas da manhã
Do dia vinte e dois de Fevereiro
Sobrevoou esta região
Um grande avião bombardeiro

III
Era de noite não se via
A nação de onde ele era
Mas ao outro dia já se sabia
Porque tinha caído na serra

IV
Ocorreram em grande correria
Ao lugar assinalado
Quando o povo lá chegou
Ficou todo horrorizado

V
No alto da Serra da Estrela
Na barroca do Marte Amieiro
O avião ficou despedaçado
Junto à Fraga do Alcabreiro

VI
Veio a justiça do concelho
Para os corpos levantar
A mil e quinhentos metros de altura
Essa noite não podiam lá ficar

VII
Uns dizia que eram sul-africanos
Outros diziam que eram franceses
Veio um pessoa competente
Disse logo que eram ingleses

VIII
Homens fortes e valentes
Da RAF eles eram soldados
Quatro tinham o cargo de tenentes
E dois também já eram cabos

IX
Loriga ficou comovida
Assim como Portugal inteiro
Por serem nossos aliados
Desde o reinado de D. João I

X
Homens de grande envergadura
Cobertos de feitos e glória
Seus nomes ficaram escritos
Nas lindas páginas da sua história

XI
Levantaram de Gibraltar
Ás nove horas depois de comerem
Nunca haviam eles pensar
Que a Loriga vinham morrer

XII
Os brilhantes aviadores
Da Real Aero Inglesa
Vieram morrer num cantinho
Deste grande Nação portuguesa.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License