Recanto Santo de Loriga

ÍNDICE A "Moura" « anterior |

Autoria | Adelino Manuel Martins de Pina

Criado em | . 2005

Estilo poético | Versos livres

Recanto Santo da minha Terra
Flores e velas acesas
com mágoas do meu pesar,
gente e recordações adormecidas
em terra fria
sem soluços, sem chorar.

Recanto Santo da minha Terra
Lágrimas dos olhos,
que caem em sentimento
e luto que deslumbra,
um passado no presente
de tristeza e dor.

Recanto Santo da minha Terra
Onde as chamas das velas
se agitam pelos ventos
desordenados que passam,
levando o meu suspiro
e em pranto o meu chorar.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License