A "Moura"

ÍNDICE Os Lanifícios « anterior |

Autoria | Antero Almeida Figueiredo

Criado em | .

Estilo poético | Quadras

Era verão, noite enluarada
Raios de luz, estrelas no céu
Trajava verde cor da mata
De cinza-rocha era seu véu.

Na borda do seu caixão
Eu vi a Moura altiva
Com seu pente na mão
Belos cabelos penteava.

Ao lado de seu ataúde
Eu vi a Moura a sorrir
A alma que anseia vive
Som da guitarra a ouvir.

No seu banco de pedras
Eu vi a Moura sentada
Punha sandálias de tiras
Pra passear na calçada.

Vista Alegre na ladeira
Eu vi a Moura a descer
Bilha de barro à cabeça
Na sua fonte a encher.

No pinhal bem ao meio
Eu vi a Moura a esperar
Cavaleiro Mouro já veio
Pra Vila Moura a levar.

Se lá passares, olha se a vês !
Faz uma quadra pra ela.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário

Páginas relacionadas

Páginas com etiquetas similares:

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License