A Rua da Fonte do Vale

ÍNDICE Os meus filhinhos « anterior |

seguinte » Avô Luís

Autoria | Maria da Luz Matias Ribeiro (Cardoso)

Criado em | Maio 2015

Estilo poético | Quadras

I
Sempre a correr para o trabalho
Pela Rua da Fonte do Vale
Por muitos tomado este atalho
Para a Fabrica Moura Cabral
II
É assim a minha recordação
Ó Rua da Fonte do Vale
Também para as terras do pisão
Caminhavam, e muitas vezes o casal
III
Lá ao fundo para a Ribeira se fazia chegar
Por aquela rua, caminho de precisões
Os baldes brancos com tampa a passar
Quem nas suas casas não tinha condições.
IV
De tudo que por aqui que se acentua
Não pode deixar de ser referenciada
A casa dos “ Bilitos” nesta rua
Família tantas vezes mencionada.
V
Umas vezes por bem outras vezes por mal
Vale a pena dizer que foi mais por bem
A demência escrita era facto já natural
Para nós um prazer para outros um desdém
VI
Alguns destes moradores
Com línguas mais afiadas
Que traziam curiosos admiradores
Às discussões que eram atinadas
VII
Tudo se arranjava eu acho
Nesta rua “pia baixo”
À tia Irene aparecia o tacho
E lá recolhia tudo cabisbaixo
VIII
O Capitão capitava
A Estaca estacava
A Moleira moía
E a Sabanica sabanicava.
IX
O cortiço sempre cheio
De mel, isso não faltava
Tanta malta dependente
Enquanto a Mariaia costurava
X
O pistola atirava
Pro trabalho produzir
A ti Marizé do Bentinha ralhava
Para sua filha Fátima ouvir
XI
A roupa branca ficava
Pelas mãos da Barromona
A seu lado ainda morava
A muda Dos Anjos, uma sabichona
XII
Ruas, Governos , Balázias e Claras
Moravam também por ali
Flaviano, Rufinas e mais algumas caras
Originando histórias que construí.
XIII
E quem ao fundo da rua chega
Não deixa de a água ir beber
Descendo as escadas se entrega
À Fonte do Vale com prazer
XIV
Recordar brincadeiras e adorar
Infantilidades da nossa altura
Para o tapado íamos jogar
Às semanas, aeroplanos e era uma aventura.
XV
Um dos melhores abrangeres
Aquela rua acaricia
Tanto homens como mulheres
Quando olham para a Sra. Da Guia
XIV
Resolvemos abrilhantar
Alguns que assim entendia
À Fonte do Vale acrescentar
Mais um nome de “Bilitolândia”

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License