O Minério

ÍNDICE A queda do avião « anterior |

Autoria | Maria Adélia Lopes Prata

Criado em | Junho 2012

Estilo poético | Marcha

I
Eu conheci um mineiro
Na serra se apaixonou
Por uma morena linda
Com quem mais tarde casou
De rosto sempre a sorrir
Gostava de conversar
Contava muitas histórias
Que me faziam pasmar

Refrão
Manjerico e alcachofra
Envolvidos em mistério
Foram ao alto da serra
Ver no filão o minério
Ao chegarem a Loriga
Cheirava a São João
Entraram p’rá nossa marcha
Com um arco e um balão

II
O volfrâmio do filão
No alto da nossa serra
Não era só ganha-pão
Dava material de guerra
Rostos cheios de suor
Pés e mãos a calejar
Monte acima, monte abaixo
Cantavam p’ra não chorar

Refrão
Manjerico e alcachofra
Envolvidos em mistério
Foram ao alto da serra
Ver no filão o minério
Ao chegarem a Loriga
Cheirava a São João
Entraram p’rá nossa marcha
Com um arco e um balão

III
Deixar de ser operário
Para ganhar mais dinheiro
Trocar os fios da lã
E passar a ser mineiro
Por vezes não dava certo
Não era mais que ilusão
Vinham apenas migalhas
Não davam mais um tostão

Refrão
Manjerico e alcachofra
Envolvidos em mistério
Foram ao alto da serra
Ver no filão o minério
Ao chegarem a Loriga
Cheirava a São João
Entraram p’rá nossa marcha
Com um arco e um balão

IV
Os que já eram senhores
Criavam mitos e lendas
Para afastar os audazes
De abrirem novas fendas
Ao rebentar o rastilho
Nas fragas duras e frias
Só alguns enriqueciam
Muitos, só de mãos vazias

Refrão
Manjerico e alcachofra
Envolvidos em mistério
Foram ao alto da serra
Ver no filão o minério
Ao chegarem a Loriga
Cheirava a São João
Entraram p’rá nossa marcha
Com um arco e um balão

V
Se tu fosses p’ró minério
Não queria ficar aqui
Subia essa montanha Iá ter ao pé de ti
Oh! Que alegria me davas
Meu amor meu querido bem
Um problema terias:
Convencer a minha mãe

Refrão
Manjerico e alcachofra
Envolvidos em mistério
Foram ao alto da serra
Ver no filão o minério
Ao chegarem a Loriga
Cheirava a São João
Entraram p’rá nossa marcha
Com um arco e um balão

VI
Foi lá na Penha do Gato
Que um mineiro arrojado
Viu caído um avião
Que se tinha despenhado
Em memória dessas vidas
Eu sinto dentro de mim
Que no nosso cemitério
Há um pequeno jardim

Refrão
Manjerico e alcachofra
Envolvidos em mistério
Foram ao alto da serra
Ver no filão o minério
Ao chegarem a Loriga
Cheirava a São João
Entraram p’rá nossa marcha
Com um arco e um balão

VII
A casa dos ingleses
De pedra bem aprumada
P’rós lados do “Surgaçal”
Lá está abandonada
São marcas que o tempo deixa
Das vidas que já não são
Retalhos que hoje cantamos

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário

Páginas relacionadas

Páginas com etiquetas similares:

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License