Minha terra amada sempre

Autoria | José Lages Caçapo

Criado em | .

Estilo poético | Quadras

Bela demais para não se olhar
Pois Loriga não tira os olhos de nós
As Penhas são anjos a guardar
Quando pensamos que ficamos sós.

Elevas-te aos céus de manto celestial
Envolves-te no infinito firmamento
Sobes mais alto do que a bela águia real
Que voa à tua volta a cada momento.

Deixas-me pequeno quando em ti revejo
O quanto amor te sinto Loriga mulher
No dia e noites de luar contigo me deito.

Como quem perdido apenas carne quer
E uma boca seca nas ribeiras dá-te um beijo
E te tenho no miradouro que é o meu leito.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário

Páginas relacionadas

Páginas com etiquetas similares:

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License