FONTÃO - LORIGA - SERRA DA ESTRELA

Autoria | José Lages Caçapo

Criado em | .

Estilo poético | Quadras

É dos últimos ninhos bem perto da Serra
Já o granito escapa mas por lá passou Cristo
Tão profundo e escondido mas ó doce terra
As tuas fragas já se transformaram em xisto.

Correm leiras de águas sequiosas ainda frias
Num correr desmedido que ninguém bebe
Onde estão as gentes e aquelas doces crias
Que não paravam entre um monte e a sebe.

Não a deixem cair, conservem-na é nossa
Se nos pertence, não quero vê-la apodrecer
Nos fim duma estrela onde já voam açores.

Que fique bem viva, um dia virá caça grossa
Fará raízes, os medronhos voltarão a crescer
E nas leiras mornas irão lavar-se outros amores.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License