Sem título

Autoria | José Lages Caçapo

Criado em | Junho 2015

Estilo poético | Quadras

E numa ribeira onde as águas
Ainda se esfregam para aquecer
Deixo-me escorregar nas tábuas
Para me lavar e depois morrer.

Depois de lavado sem usar sabão
Estendo-me num pedra a secar
E de tanta beleza ver, não seco não
Corpo não morre sem se enxugar.

E ouvi: Ai já lá vem o mês de Agosto
Ai já lá vem, ai já lá vem o lindo dia…
Não há festa como era, alguém diria
Por saber não me seco, por desgosto.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License