Saudades da infância em Loriga!

ÍNDICE Olhar Loriga « anterior |

seguinte » Tradições de Loriga

Autoria | Maria Goretti Pina Melo (Carvalho)

Criado em | Janeiro 2017

Estilo poético | Quadras

Escritos não são poemas
Nem sequer quadras serão
Mas como gosto de letras
Escrevo sem pretensão

Todos têm uma terra
Que o destino reservou
Não há ninguém que renegue
O berço que lhe calhou

Sou natural de Loriga
E tantos… tantos o são
Alguns ainda lá moram
Mas a maior parte não

Terra granítica, forte e murada
Que a mãe natureza dotou de prazer
Encheu as ribeiras de água abundante
Ofereceu aos meninos um belo lazer

Sem os brinquedos de meninos ricos,
Sem dó e sem constrangimentos,
Arranjavam tábuas, baraços e pregos
Construíam carros com os rolamentos!

Na catequese, na rua, na escola,
Saltavam ao eixo, jogavam à bola,
Fizeram-se homens os meninos de outrora!

E as meninas brincavam às mães
Em cacos de pratos serviam petiscos
E de tecidos, costuravam à mão,
Para as bonecas faziam vestidos!

Cada um com seus amores
Cada qual à sua maneira
Eu tenho no olhar os montes
E na memória, a Carreira!

O ponto alto da nossa Loriga
Eram as festas, grande alegria
A maior de todas, bem o sabemos
É em Agosto, Senhora da Guia!

Natal em Dezembro,
Fogueirão a arder
Missa do galo para quem quiser
Da páscoa lembro, bolos e amêndoas…

“Esperai, esperai que o padre já vai”!

Não esqueço um quadro,
Marcante para mim,
Doeu-me na alma, jamais esqueci.
Choros e lágrimas dentro das casas,
Dizendo adeus ao seu benjamim…

E agora sim, na despedida,
Lembro amigos, amigas queridas
De brincadeiras e passeatas antigas!
Com os seus nomes na minha memória
Deixo um abraço, recordação…
Sem preferência, honra ou glória
Menciono os nomes, num turbilhão!

Anjos, Irene, Lurdes, Natália,
Alice,Manuela, Aurora,Ermelinda…
Carmo, Isabel, Jacinta e Amália
Mena, Fernanda, Adélia e Laurinda

Fátima, Laura e a Madalena
Maria José, Amélia e Regina!
Faltam-me a Rosa, a São e a Teresa
E a Eugénia lá mais acima.
A Maria da Luz e a Margarida…
Falhou algum nome, desejo que não,
Já me esquecia da Conceição…

Faltam os moços, vamos, então!
Lembro os Antónios,
Josés, com fartura,
Eduardo, Daniel e João…

Carlos, Nuno e Fernando
Mário, Gabriel e Jorge
Adelino, César e Armando…

Sentados na nossa praça
Olhando para quem passa
Da escaleira do balcão…

Mas que grande vergonhaça,
Não vamos pela praça, não….

Já me esquecia, que susto…
Do Adriano, do Victor e Augusto!
E agora sim,
Termino a lista com o Joaquim!

E viva Loriga
Vivam suas gentes
No mundo espalhadas
E muito contentes!

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License