Poema dedicado a Loriga

ÍNDICE Ruas da minha terra « anterior |

seguinte » À minha terra

Autoria | Eugénio Luís Pina dos Santos

Criado em | Março 2003

Estilo poético | Versos rimados

Telhados velhinhos
A roupa a secar
A neve caindo
Crianças sorrindo
E a gente a cantar

Oh terra tão linda
Quem há que não diga
Saloias da serra
E cristãs da terra
É assim Loriga

Disse uma graça na ponte
Corre veloz até à fonte
E chega logo à "Carreira"
Lá vai ele como louca
Andando de boca em boca
Percorrendo a terra inteira

Dizem que a aldeia é grande, vê lá
Mas se é grande não parece
Na rua é um formigueiro
Desde a ponte à "Carreira"
Toda a gente se conhece

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário

Páginas relacionadas

Páginas com etiquetas similares:

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License