Memórias

ÍNDICE Menina vestida de branco « anterior |

seguinte » No meio do silêncio

Autoria | Maria Helena Fernandes Alves (Conceição)

Criado em | Novembro 2015

Estilo poético | Por classificar

Depois do rigor do Inverno, a Páscoa está a chegar,
O Senhor será visita e a casa há que preparar.
Enceram-se os soalhos e esfregam -se os balcões,
Dá-se brilho aos alumínios e solarine aos fogões.

Branqueiam-se as cortinas e engomam-se os naperons,
Enfeitam-se as cantareiras, com papéis de lindos tons.
Bolo negro, broínhas, biscoitos, no forno é uma correria,
E pão de ló, que o bolo doce, se compra na padaria.

Elevam-se cânticos na noite, é "Das almas o Ementar"
Pelas almas do purgatório, um Pai Nosso há que rezar.
A Semana é Santa, penitência, promessas de melhorar,
Saem os homens à rua para a Via Sacra cantar.

Na procissão pelas ruas, vai o povo com fervor,
Opas negras, com respeito, levam o esquife do Senhor.
Aleluia Aleluia é Domingo, ressuscitou o Senhor,
Toca o sino ar festivo, vestem todos a rigor.

A toalha de brocado, aos de Quadrazais comprada,
Com os doces e com flores, na mesa toda enfeitada.
Na bandeja o licoreiro, é p'ra servir os vinhos finos
Rebuçados e amêndoas, para contento dos meninos.

Dlim, dlim, já andam na rua, a Cruz e a Caldeirinha,
Depressa, que o senhor Padre, já está em casa da vizinha.
Aleluia Aleluia água benta, Deus abençoe este lar,
A família reunida, vai finalmente a Cruz beijar.

E seguem, que o dia é pouco, para toda a vila visitar,
Fica a algazarra dos miúdos, para as amêndoas apanhar.
Pudesse eu neste momento, a roda do tempo desandar,
Voltaria a ser criança, p'ra Páscoa de Loriga, celebrar!

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License