Tem de haver um tempo

seguinte » Soneto a Loriga

Autoria | Luís Serrano

Criado em | . 1983

Estilo poético | Versos livres

Tem de haver um tempo
para a vida e para a morte
tem de haver um espaço
onde concentrar
as lágrimas e o riso

um abismo
onde as árvores
cresçam em esquecimento
e claridade

uma porta rarefeita
por onde escoar
o que resta da solidão

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário

Páginas relacionadas

Páginas com etiquetas similares:

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License