Loriga

Autoria | Ana Leite

Criado em | Março 2015

Estilo poético | Quintilhas

Jazes, no fundo da serra,
És doçura, verde e água
E eu que vou e que venho
No coração te detenho,
Numa leve e doce frágua.

As fontes mitigam sedes
As saudades, acordadas em Agosto
Os montes vestidos de flores
Cheiram a infância, aos meus amores
E ao beijo que te dei já ao sol posto.

Tenho-te em mim, Loriga, como o choro
Que soltei, no teu colo ao germinar
As ribeiras que te lavam enalteço
Mesmo além, em ti eu permaneço
Na dor do tempo, um dia hei-de voltar.

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License