Detalhes serranos

ÍNDICE Sou de Loriga « anterior |

seguinte » O passado no presente

Autoria | Maria Adélia Lopes Prata

Criado em | .

Estilo poético | Quadras

1
Vem-me à lembrança
Como era a vida
No meio da serra
Quase esquecida

2
Sem a liberdade
Escrita nas leis
Assim se vivia
Sem esses papéis

3
Nas ruas e becos
Largos ou terreiros
Viam-se os meninos
Quase "dinqueiros"

4
Joelho esfolado
A unha a cair
Mãos sujas de terra
E o rosto a sorrir

5
Passavam o tempo
Em grupo ou sozinhas
Às vezes com um pau
Atrás das galinhas

6
Naquela calçada
Tão irregular
As pedras luziam
De tanto passar

7
Ao toque da Música
Se havia "arruada"
Alegre atrás dela
Ia a garotada

8
Usar roupa nova
Oh! Que alegria!
Para a procissão
Da Senhora da Guia

9
Ao som dos foguetes
Miúdos "sacanas"
Fugiam à mãe
Para ir às canas

10
Nos dias de Maio
Alguém se atrevia
A levar os grilos
P'ró Mês de Maria

11
Era obrigação
Todos os meninos
Pedirem a bênção
Aos pais e padrinhos

12
Aprender a ler
E ir à doutrina
Sem faltar à missa
Menino ou menina

13
Andar de popó
Oh! Que alegria!
Na camioneta
Da mercearia

14
Queimados p'lo sol
No mês do calor
Sabiam nadar
Sem ter professor

15
Sopinha e pão
Quase sempre havia
Raro era comer-se
Outra iguaria

16
Jogos não faltavam
Para diversão
Desde o pau-de-bico
Ao eixo e ao pião

17
Brincar às pedrinhas
À corda, ao bulir
Batendo às portas
E logo fugir

18
Assim a canalha
Dos tempos antigos
Ainda tem hoje
Velhos amigos

19
Qual berço de ouro
Fazer um ó-ó
No xaile embrulhados
Ao colo da avó

20
Ao sol do Inverno
Tarde soalheira
Sentavam-se os velhos
Em qualquer soleira

21
Um peito sereno
É caixa sagrada
Que guarda lembranças
Da era passada

22
Já pouco se escuta
O som das Trindades
Ao raiar da aurora
E ao cair das tardes

23
Com mais casario
Mas com menos gente
Loriga é um ai
Que só a alma sente

24
Hoje quem lá volta
Sem lá ter ninguém
Qualquer beco ou rua
Lhe fala de alguém

25
São pedacinhos
Do tempo passado
Só cada um sabe
Como foi criado

26
As ruas desertas
Cheiram a memórias
As casas velhinhas
São livros de histórias

27
Passado é passado
É recordação
Que tem num cantinho
Qualquer coração

28
Somente lembranças
Que há dentro de nós
Escutem os netos
Contem os avós.

Adélia Prata

______

Comentários a este poema

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License